Antibióticos

De acordo com determinação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que vigora desde novembro do ano passado, a compra de antibióticos só pode ser feita mediante apresentação de receituário médico, pois o uso indiscriminado do medicamento fortaleceu as bactérias, tornando-as resistentes. Nem toda infecção deve ser tratada com antibiótico e o medicamento deve estar de acordo com a bactéria que se instalou. Em entrevista, Dr. Walter Tavares, Professor de Doenças Infecto-Parasitárias, aborda estes temas e explica o efeito dos antibióticos no organismo e os males causados pelo seu uso indevido.

Leia a entrevista e saiba mais sobre a determinação.


Entrevista com Dr. Walter Tavares
(clique nas perguntas para ver as respostas)

1. Como os antibióticos combatem as infecções no organismo?


2. Em quais casos os antibióticos são realmente indicados?


3. O que levou a esta determinação da ANVISA? Em que a regulamentação pode auxiliar na saúde das pessoas e no uso correto dos antibióticos?


4. Quais são as possíveis complicações do uso do antibiótico incorreto ou em uma situação desnecessária?


5. Quais são os medicamentos que não devem ser ingeridos junto com os antibióticos? Quais são os efeitos desta interação medicamentosa?


6. Existem alguns mitos populares relacionados à ingestão de antibióticos. Entre eles: não se pode ingerir em jejum; deve-se preferir a ingestão junto a uma refeição; deve-se ingerir o medicamento com leite, para evitar que ele cause dor no estômago; os antibióticos estragam os dentes; diminuem o efeito dos anticoncepcionais. O que é verdade e o que é apenas mito?


* Doutor em Medicina pela UFRJ e Professor de Doenças Infecto-Parasitárias do Departamento de Medicina da UFRJ, UFF, Centro Universitário de Volta Redonda, Centro universitário Serra dos Órgãos, da Universidade Gama Filho, da Universidade Severino Sombra.


Mais sobre a determinação

Antibióticos, só com prescrição médica

Desde o final do ano passado a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) obriga farmácias e drogarias a exigirem receita médica para a venda de antibióticos. As embalagens e bulas também já incluem a seguinte frase: "Venda sob prescrição médica - só pode ser vendido com retenção da receita" A proposta para restringir e tornar mais rígidas a venda de antibióticos no Brasil teve como objetivo diminuir o consumo desnecessário desses medicamentos e evitar o aumento da resistência bacteriana a esses remédios. Segundo o infectologista Jaime Rocha, a medida da ANVISA é extremamente benéfica. "O antibiótico é o único medicamento com impacto social. Se uma pessoa usa mal o antibiótico, pode-se induzir uma resistência bacteriana para outros pacientes, ou seja, ela pode deixar a bactéria ainda mais resistente" explica o especialista. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) mais da metade do consumo de antibióticos no mundo é feita de forma inadequada. Só no Brasil, o comércio de antibióticos movimentou, em 2009, cerca de R$ 1,6 bilhão, segundo relatório do instituto IMS Health.

Faça a sua parte: o medicamento receitado para outra pessoa não deve ser utilizado por você sem que tenha sido prescrito por um médico.

Unidades: Centro | Madureira | Niterói | Tijuca. Consultas com hora marcada.
Central de Marcação de Consultas: (21) 3515-0808