Apague o tabagismo da sua vida

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o tabagismo a principal causa de morte evitável no mundo. Além dos fumantes convencionais, os passivos também sofrem com os malefícios do cigarro. Parar de fumar é uma luta difícil e o acompanhamento médico adequado é fundamental para o sucesso do tratamento contra a dependência química do tabaco. Dr. Milton Galper Posener, Diretor da Clínica Alergoar, fala sobre as dificuldades e os benefícios de se parar de fumar.

Alergo ar - O tabagismo pode ser considerado uma epidemia? Ele provoca quais doenças?

Dr. Milton Galper Posener - Sim, é uma epidemia e é a maior causa de mortalidade evitável. Quem fuma durante toda vida tem 25% mais chance de morrer prematuramente por alguma complicação associada ao tabagismo. Além da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), complicação frequente do tabagismo, o fumo pode causar câncer de pulmão, asma brônquica, pneumonias de repetição e mortalidade por infecções virais respiratórias.

O fumante tem maior risco de sofrer complicações cardiovasculares, como infarto do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, doença vascular periférica e angina. Também podem surgir complicações gastrointestinais, como úlcera péptica e gastrite.

Alergo ar - Por que o tabagismo causa dependência?

Dr. Milton Galper Posener - A nicotina começa a agir nas estruturas do cérebro 15 segundos após o indivíduo inalar a fumaça do cigarro. Isso proporciona a ele uma sensação de bem-estar. Quando ficam horas sem a nicotina, os fumantes começam a apresentar manifestações de ansiedade, irritabilidade, inquietude, dificuldade de concentração e alterações no sono. Com certeza, esses são sintomas de uma dependência.

Alergo ar - A inalação da fumaça dos derivados do tabaco pelo fumante passivo pode provocar as mesmas doenças desenvolvidas pelo fumante ativo?

Dr. Milton Galper Posener - O fumo passivo causa aumento de infecções respiratórias e crises de asma. Dependendo da frequência da exposição à fumaça, pode causar as mesmas doenças do fumante ativo. A incidência de complicações por doenças é maior no fumante ativo, mas o fumante passivo está sujeito às mesmas doenças.

Efetivamente, na fumaça exalada pelo fumante existe maior concentração de algumas substâncias do que na fumaça absorvida. Então, alguns fumantes passivos, por convívio permanente com fumantes ativos, terão maior incidência de morte por câncer, infecção respiratória e aumento de crises asmáticas.

Alergo ar - Quais os riscos de fumar durante a gravidez?

Dr. Milton Galper Posener - Existem artigos que comprovam que fumar durante a gravidez aumenta o risco de abortamento espontâneo, placenta prévia (mau posicionamento da placenta, que pode ocasionar sangramento), parto prematuro, filhos com asma e crianças com baixo peso.

Alergo ar - Qual a importância do Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio) e do Dia Nacional de Combate ao Fumo (29 de agosto)?

Dr. Milton Galper Posener - Tanto o Dia Mundial sem Tabaco quanto o Dia Nacional de Combate ao Fumo fazem parte de uma política de conscientização, que está criando um cerco em torno do fumante de forma que ele tem cada vez menos espaço para fumar em público. Não se pode mais fumar em um shopping, em bares e na sala de espera do cinema. Com isso, houve uma redução do tabagismo, que diminuiu a questão do fumo passivo.

Acho que isso foi uma mudança de conceito. Antigamente fumar era bonito; hoje em dia fumar é um vício mal-visto.

Alergo ar - Quais são os tipos de tratamentos antitabagismo, e como eles funcionam?

Dr. Milton Galper Posener - Os tratamentos que existem se baseiam no uso de drogas que têm ação antidepressiva. As principais são a vareniclina e a bupropiona, substâncias que podem ser utilizadas em forma de adesivos que, aplicados na pele, transferem a medicação para a corrente sanguínea. Também existem gomas de mascar para suprir a necessidade de nicotina do organismo e, gradativamente, será feita a redução até que o organismo fique dessensibilizado à nicotina.

De um modo geral, o tratamento dura de 70 a 90 dias, embora isso seja relativo, porque existem pessoas que param de fumar por meses, anos e depois voltam a fumar.

Alergo ar - Por que é tão difícil parar de fumar?

Dr. Milton Galper Posener - O mais importante, e que sempre oriento aos meus pacientes, é que eles têm que querer parar de fumar. Nenhuma medicação ou tratamento fará o indivíduo eliminar o vício do cigarro se ele não estiver empenhado e conscientizado de que ele precisa parar de fumar. Diria que 30% do tratamento é medicamentoso e 70% depende efetivamente do paciente.

O tratamento é multidisciplinar, ou seja, necessita do apoio de diversos especialistas, entre eles psicológicos e nutricionistas, pois ele não pode trocar o hábito de acender o cigarro pelo de abrir a porta da geladeira. E, finalmente, é necessário começar a fazer exercícios físicos e, para isso, precisa da orientação de um fisioterapeuta ou profissional de educação física. O ganho de peso é uma das principais complicações do tratamento e ocorre porque o indivíduo passa a sentir o sabor dos alimentos quando para de fumar.

Alergo ar - Quais os benefícios para a saúde ao parar de fumar?

Dr. Milton Galper Posener - À medida que o tempo vai passando após o indivíduo parar de fumar, vão diminuindo os riscos de doenças a que o fumante está exposto, como câncer de pulmão, bronquite crônica, infarto, acidente vascular cerebral e isquemia. Caso ele já tenha alguma doença, o não uso do tabaco permitirá maior controle da patologia e desaceleração de sua evolução. Há qualidade de vida em qualquer idade após a decisão de parar de fumar.

Unidades: Centro | Madureira | Niterói | Tijuca. Consultas com hora marcada.
Central de Marcação de Consultas: (21) 3515-0808