Revista Alergo ar #13 Primavera - Online - page 4

04
EN
TREVISTA
Amaioriadasmães epais sabeoquantoé importante imunizar seus
filhos para evitar problemas no desenvolvimento das crianças. Mas
por que será que essa maioria não segue cumprindo a caderneta
de vacinação na idade adulta? A falta de informação continua
sendo o maior causador de doenças porque limita a prevenção.
Ora, se não sabemos a importância e a necessidade da prevenção,
potencializamos aaçãodedoenças.
O convidado desta seção é o Dr. Edimilson Migowski, professor de
Infectologia Pediátrica e diretor do Instituto de Pediatria da UFRJ.
Em entrevista, ele ressalta a importância da imunização não só
nos primeiros anos de vida, mas na idade adulta e a necessidade
de fazer os reforços das vacinas que foram aplicadas na infância e
adolescência. Tal conduta pode resguardar o indivíduo de doenças
que,atualmente,são facilmenteevitadas.
Os adultos também precisam
manter a vacinação em dia
Em que faixa etária o adulto
deve se vacinar? E quais as
principais vacinas a serem
tomadas nesta fase?
Dr. Edimilson Migowski:
É im-
portante lembrar que a vacina
antigripal tem que ser feita to-
dos os anos. As vacinas contra
difteria, tétano e coqueluche
devem ser administradas de-
pois de completar o esquema
de vacinação, que começa na
infância; fazer uma dose de
dez em dez anos. Contra o ví-
rus papiloma humano (HPV),
que pode causar o câncer do
colo de útero, que é uma va-
cina que está licenciada pela
GSK, a partir dos 09 anos, sem
limite máximo de idade. Por-
tanto, qualquer mulher em
idade adulta poderia fazer
essa vacina. O que se recomen-
da atualmente são três doses
desta vacina: o esquema zero,
um e seis meses, ou seja, uma
dose agora, outra daqui a um
mês e outra daqui a seis meses.
O adulto tem sempre que
manter as vacinas em dia, para
algumas vacinas existe uma
idade mínima. Por exemplo, a
vacina chamada Prevenar, que
é a Pneumo 13 Valente, para
pneumococos, é uma vacina
que deveria ser feita de roti-
na em adultos saudáveis com
mais de 50 anos de idade. Para
esta vacina, a recomendação
atual é que seja em dose úni-
ca; não se recomenda dose
de reforço, pelo menos por
enquanto. Antes desta idade,
deve ser ministrada quando o
adulto tem alguma doença de
base como diabetes, problema
cardíaco ou pulmonar grave.
A partir do ano que vem, será
aplicada a vacina que previ-
ne contra o herpes-zoster em
pessoas com mais de 50 anos
de idade.
por Márcia Asevedo
Dr.EdimilsonMigowski
MD,PHD, MSC,MBA - Diretor IPPMG
Foto: Divulgação
1,2,3 5,6,7,8,9,10,11,12,13,14,...16
Powered by FlippingBook